Qual é o sistema de segurança mais certo para você?

Tags:

Colocar um sistema de segurança residencial na sua casa é com certeza uma decisão importante, pois ele ajudará a aumentar a segurança da sua família e do seu patrimônio. Mas na hora de optar pelo tipo de sistema, fica a dúvida: qual deles escolher?

Para começar, é preciso que você identifique quais são suas maiores necessidades com um sistema de segurança residencial: proteger sua família, proteger seus bens, monitorar o comportamento de funcionários ou de crianças e idosos, cuidar da parte interna/externa, enfim, um mundo de possibilidades.

Por isso, é necessário identificar quais são os pontos frágeis da sua casa, como portas, janelas, garagem, jardim: esses lugares merecem uma atenção especial na hora de pensar o sistema de segurança residencial e onde serão instalados seus componentes. Além disso, a configuração de sua residência também influi no sistema escolhido. Por exemplo, se você utilizar detectores de presença e viver em uma casa de dois pavimentos: no cotidiano, durante a noite, a central de controle deve acionar apenas os detectores do piso inferior, para que as pessoas possam circular no piso superior. Já no caso de uma viagem, o ideal é que todos os detectores sejam ligados.

A seguir, a Argus separou para você alguns exemplos de sistema de segurança residencial, seus pontos fortes, seus pontos fracos e para que situação se encaixam melhor.

Sistema de segurança residencial: escolha o melhor para você

Cercas eletrificadas: são barreiras que usam o choque elétrico para impedir que as pessoas entrem em propriedade privada. Geralmente, as cercas eletrificadas possuem uma corrente elétrica baixa, e servem de advertência. Embora possa dar a aparência de proteção, as cercas eletrificadas podem ser cortadas ou danificadas com relativa facilidade. Além disso, têm como desvantagem o fato de que podem acabar prejudicando e machucando animais, crianças ou e também pessoas que não conseguirem enxergar os limites da cerca.

Ronda: a ronda é um sistema de segurança residencial que costuma ser feito por um ou mais profissionais de uma empresa de segurança contratada, para que verifiquem se tudo está bem nos arredores de uma casa ou vizinhança. Ela pode ser feita à pé ou de carro. Uma de suas vantagens é possibilitar uma vigilância externa, e também inibir ladrões que por ventura estejam estudando o local para futuros roubos. A desvantagem é que, caso a ronda tenha sempre os mesmos horários, os ladrões podem acabar descobrindo e encontrar formas de burlar a ronda.

Circuito fechado de TV (CFTV ou CCTV): é um sistema que capta e distribui sinais provenientes de câmeras de monitoramento instaladas em locais específicos. Entre os equipamentos utilizados nesse sistema, estão câmeras, caixas de proteção para as câmeras, cúpulas para ocultar câmeras, monitores de vídeo time lapse, multiplexadores (permite a visualização de todas as câmeras em uma só tela. O maior benefício é a possibilidade de reconhecimento, que desestimula ações de furtos, roubos e arrombamentos, e permite identificação caso essas ações aconteçam. Contudo, caso os equipamentos não estejam bem protegidos, podem ser danificados. Além disso, se não houver uma vigia constante, as ações de ladrões podem ser notadas apenas posteriormente.

Monitoramento 24h: esse sistema de segurança residencial geralmente é composto pela instalação central de alarme com botão de pânico silencioso. Quando o botão é acionado, a empresa contratada manda uma viatura ao local ou aciona a polícia. Embora esse sistema seja discreto e possa ser usado sem que os invasores percebam, caso não haja pessoas no momento ou não for possível acionar o alarme, a invasão pode ocorrer.

Sistema de segurança residencial integrado: são sistemas que unem sensores, câmeras, sirenes e fechaduras em uma solução integrada, sendo gerenciados por uma única plataforma, e funcionam da seguinte maneira:

1) Sensores: detectam abertura e fechamento de portas, movimento, vidro quebrado e imagens, enviando um sinal para a central de monitoramento ou painel de controle.

2) Câmeras: internas e externas e com visão noturna, as câmeras de monitoramento permitem que você veja, de onde estiver, o que está acontecendo dentro e nos arredores de sua casa. Podem se conectar à internet, enviando imagens diretamente  para central de monitoramento ou o smartphone do proprietário.

3) Sirene: emite o sinal sonoro indicando uma presença ou invasão.

4) Fechaduras eletrônicas: as fechaduras eletrônicas permitem que você abra ou tranque suas portas remotamente e também programe-as para funcionar de acordo com sua necessidade, fornecendo uma senha de acesso para o uso de terceiros.

O sistema de segurança residencial integrado pode ser monitorado pelos próprios moradores remotamente, através de aplicativos para smatphones, tablets e computadores. Podem ainda ser integrados a outras soluções de automação residencial, como controle das luzes e do ar condicionado e tomadas inteligentes.

Agora que você já já sabe qual é o melhor sistema de segurança residencial para você, que tal saber mais sobre serviços que podem melhorar o monitoramento da sua residência ou empresa? Então baixe agora gratuitamente nosso ebook sobre sistemas de segurança de última geração!

sistemas-de-segurança-de-última-geração